Exames e procedimentos

Colposcopia

É um exame que permite visualizar a vagina e o colo do útero através de uma lente de aumento num aparelho chamado COLPOSCÓPIO. Estes exames são grandes aliados no diagnóstico e tratamento do HPV, Human Papiloma Virus, da vagina e do colo do útero.

Orientações para exame 

  • 7 dias sem menstruar
  • 3 dias sem relação sexual
  • Depilação completa
  • Trazer resultado do último preventivo
  • Trazer um absorvente e lenço umidecido

Vulvoscopia

Vulvoscopia é o exame da vulva, que consiste em avaliar as estruturas, pele e mucosas do órgão genital externo feminino.

Orientações para exame 

  • 7 dias sem menstruar
  • 3 dias sem relação sexual
  • Depilação completa
  • Trazer resultado do último preventivo
  • Trazer um absorvente e lenço umidecido

Bartolinectomia

Glândula de Bartholin são glândulas responsáveis pela lubrificação vaginal, localizadas bilateralmente. Em algumas mulheres essas glândulas podem inflamar e infeccionar – causando a BARTOLINITE, uma infecção muito dolorosa, em que a pessoa não consegue andar, sentar, e se submete a uma drenagem, que alivia os sintomas. Porém não resolve o problema, pois essa glândula pode voltar a inchar e infeccionar. Alguns médicos fazem então uma cirurgia para abrir o canal da glândula, chamada de marsupialização. Deixam então um canal aberto para saída do muco. Em outras mulheres a glândula apenas entope, sem inflamar ou causar infecção… Mas com a saída do canal entupida o muco não sai, o que causa o aumento da glândula. Quando não se obtém resultados positivos em nenhum dos procedimentos anteriores, outra opção é a retirada cirúrgica da glândula de Bartholin – procedimento chamado Bartolinectomia.

Exame preventivo de câncer de colo uterino ou Papanicolau

Papanicolau, também conhecido como esfregaço cérvico-vaginal, é um exame de prevenção ao câncer no colo do útero. Seu principal objetivo detectar células alteradas no colo do útero. O exame deve ser realizado em todas as mulheres de 25 a 65 anos, desde que tenham vida sexualmente ativa, pelo menos uma vez no ano.

Além do câncer no colo do útero, o exame pode também determinar níveis hormonais, diagnosticar inflamações ou infecções vaginais e doenças sexualmente transmissíveis como HPV, gardnerella, tricomoníase, candidíase, gonorreia, sífilis, clamídia, entre outras.

A época a ser realizado é uma semana antes ou dez dias depois do fluxo menstrual acabar, pois a descamação do útero prejudica os resultados.

Três dias antes do exame, deve-se evitar relações sexuais, mesmo com camisinha, duchas vaginais, exames ginecológicos com toque, uso de cremes e medicações vaginais.

As gestantes podem realizar o exame preventivo, pois ele não interfere na gravidez e pode ser solicitado caso o médico considere necessário.

Como o exame é realizado?

Inicialmente, o ginecologista realiza uma inspeção da vulva para identificar a presença de possíveis infecções, doenças autoimunes ou doenças sexualmente transmissíveis.

Em seguida, ele introduz o espéculo para visualizar melhor o colo do útero e insere uma espátula especial com uma escovinha na extremidade na entrada da vagina. Esse processo normalmente é indolor, mas pode causar um leve incômodo que é menor de acordo com o relaxamento da mulher.

Assim, é realizada a coleta do material uterino para análise através da raspagem das células do colo do útero. O material é colocado em uma lâmina ou em meio liquido e levado para laboratório, para ser examinado em um microscópio por um médico citopatologista.

O exame não costuma doer, o que pode ocorrer é um pequeno incômodo durante sua realização por conta da introdução do espéculo e da espátula.

Orientações para exame 

  • 7 dias sem menstruar
  • 3 dias sem relação sexual
  • Depilação completa
  • Trazer resultado do último preventivo
  • Trazer um absorvente e lenço umidecido

AMIU

Aspiração Manual Intra Uterina, o AMIU, é um procedimento de esvaziamento do útero. Como o nome diz, ela é feita por aspiração e manualmente. É um procedimento seguro, rápido, com baixo riscos de lesões e menor necessidade de uso de medicamento e tempo reduzido de internação. O AMIU é indicado quando o corpo não consegue expelir de forma natural, total ou parcial, o embrião e é necessário a intervenção de um médico para remover o aborto retido. Esse procedimento é válido para perdas no primeiro trimestre da gravidez.

Curetagem

A curetagem uterina é um procedimento de raspagem para remover resíduos de dentro do útero. Geralmente é usada pelos médicos para “limpar” o revestimento do útero após um aborto espontâneo

Tanto o AMIU como a curetagem tem a finalidade de esvaziar o útero mas são procedimentos feitos de maneira diferente.  Basicamente a curetagem é a raspagem da parede do útero para remover o embrião retido. É um procedimento seguro, rápido e muito usado pelos médicos. Além da diferença no procedimento, a AMIU é considerada um método mais novo. Os riscos são iguais porém no caso da curetagem, eles são mais elevados. Na curetagem, o procedimento é mais agressivo se comparado ao AMIU.